Campanha Global busca barrar demissões e arbitrariedades no Santander; Vamos todos participar!

Uma campanha global encabeçada pela UNI Global Union está mobilizando os trabalhadores e a sociedade em geral para barrar as demissões e reverter outras medidas arbitrárias do banco Santander, praticadas em pleno período de calamidade pública e de fragilidade dos empregados. Além de desligamentos sumários, uma das medidas mais cruéis é a reforma nos fundos de pensão dos funcionários, que leva ao desmonte garantias previdenciárias.

A campanha global endereçada ao Santander tem como ferramenta uma PETIÇÃO, que será entregue ao presidente do banco. É preciso conseguir um grande número de assinaturas, capaz de pressionar o magnata e forçá-lo a reverter suas medidas. "Orientamos todos os bancários a assinar, além de mobilizar seus familiares e amigos para que assinem", conclama José Aragão, diretor do Sindicato e funcionário do Santander.

Para assinar, basta acessar na Internet o link: https://www.labourstartcampaigns.net/show_campaign.cgi?c=4389

Ele traz um comunicado e um pequeno formulário da UNI Global Union, entidade que representa 20 milhões de trabalhadores em 150 países nas indústrias de serviços e habilidades, incluindo três milhões de trabalhadores no setor financeiro. Para melhor compreensão da página, ative a opção "Traduzir" no canto direito da barra de endereço.

"Depois de prometer que não demitiria durante a pandemia, o banco anunciou planos de cortar 20% de sua força de trabalho (mais de 9.000 pessoas), mesmo que o vírus ainda esteja se espalhando pelo país. A empresa já demitiu pelo menos 160 pessoas e mais trabalhadores estão sendo ameaçados de demissão se não cumprirem suas metas de vendas", diz o comunicado da UNI Global.

"O que ocorre no Santander é muito grave. Não há justificativa para as demissões. O banco apresentou lucro de 3,8 bilhões de reais nos primeiros três meses deste ano, alta de 10,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro obtido no Brasil representou 29% do lucro global. Por isso precisamos reagir aos cortes, assinar em massa a petição, e exigir do mandatário do banco que recue nas suas maldosas intenções", destaca o presidente do Sindicato, Márcio dos Anjos, que integra o Comando Nacional dos Bancários.

 

TODOS ASSINANDO A PETIÇÃO !

https://www.labourstartcampaigns.net/show_campaign.cgi?c=4389

 

 

Mais Notícias

+ Ver todas